Home»Tome Nota»CIS-Guanabara expõe móveis produzidos por moradores de rua

CIS-Guanabara expõe móveis produzidos por moradores de rua

0
Shares
Pinterest Google+

O tapeceiro Jacó foi morador de rua em Campinas por mais de um ano. Há quatro meses o terapeuta e coordenador da ONG Há Esperança, Robson Teixeira Gondim, que trabalha com moradores de rua da cidade, ofereceu a Jacó a oportunidade de atuar na marcenaria que produz móveis a partir de material reciclado. O valor obtido na venda do puf e do sofá produzidos pelo tapeceiro permitiu-lhe sair da calçada e pagar o primeiro aluguel. Jacó é um dos ‘marceneiros’ participantes da exposição “Sonho de Criança”, mostra de móveis produzidos por moradores de rua que será aberta no dia 27 de fevereiro (quarta-feira) a partir das 9h00 na gare do CIS-Guanabara. Os móveis ficarão em exposição até o dia 07 de março e podem ser vistos diariamente até às 17h00. A entrada é franca.

“Essa é a primeira exposição com produtos do projeto ‘Marcenaria de Rua’”, afirma Robson, lembrando que o material ali produzido é fruto do trabalho, não apenas dos moradores de rua, mas também de pessoas carentes que residem no Parque Oziel, em Campinas. Os móveis que serão expostos no CIS-Guanabara foram feitos a partir de materiais que seriam destinados ao lixo. Pneus, madeiras de demolição, fragmentos de móveis descartados, telhas de fibrocimento, e, principalmente, pallets, são a matéria prima mais usada na fabricação desses objetos.

O material a ser exposto no CIS-Guanabara será apresentado em dez estações. “Entre elas, há casas feitas para crianças reproduzindo o cotidiano infantil. A criança entra em diferentes ambientes, desde o quarto de dormir, a sala de videogame, a piscina e o playgrond”, afirma o instrutor da oficina, Jânio de Oliveira. “Pufs, poltronas, sofás, cama, mesa de centro e baú são outros modelos de móveis que estarão à venda. Porém, mais importante que o eventual valor arrecadado, está a materialização de um sonho, a produção feita por alguém muitas vezes ignorado pela sociedade e que acaba levando alegria a uma criança, uma alegria muitas vezes jamais vivida por esse morador de rua”, afirma Jânio.

O Projeto Há Esperança completa 22 anos no próximo mês. “Consiste em trabalhar com moradores de rua oferecendo a essa população, por meio de oficinas de cabeleireiro, culinária, informática, marcenaria, entre outras, a oportunidade de uma vida mais digna”, diz Robson. Para Angela Kenebel, presidente da ONG, um dos principais objetivos do projeto é proporcionar aos moradores de rua instrumentos para uma profissionalização, ajudar pessoas que vivem em condições de vulnerabilidade social. O projeto ‘Marcenaria de Rua’ foi um dos 11 escolhidos na chamada do projeto Empreendedorismo de Base Comunitária (EBC), lançado em 2018 pelo Programa Desenvolvimento Local da Fundação Feac (Federação das Entidades Assistenciais de Campinas).

No CIS-Guanabara, o evento, com a coordenação da agente cultural Maria Cristina Amoroso Lima Leite de Barros, tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), da Unicamp. O CIS fica à Rua Mário Siqueira, 829, Botafogo, Campinas (estacionamento gratuito no local).

Previous post

Pássaro vistoso e exibido nomeia espaço dedicado às artes em Campinas: Instituto Pavão Cultural será inaugurado no final de fevereiro

Next post

Orquestra Sinfônica abre temporada 2019 com cantores do Ópera Studio Unicamp

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *