0
Shares
Pinterest Google+
AniMales fala da violência contra a mulher em suas variadas formas de representação na sociedade. Fotos: Vitória Eichenberger

Uma abordagem sobre a violência contra a mulher sobe ao palco no CIS-Guanabara. O que ocorreria se as mulheres resolvessem revidar todo o mal sofrido no dia a dia por amantes, maridos, familiares, médicos, desconhecidos ou por ‘amigos’ de sites de relacionamento? É com esse mote que o “Coletivo AniMales”, formado por atores recém-graduados em Artes Cênicas pela Unicamp, apresenta seu primeiro trabalho: a peça AniMales, uma comédia em que cinco mulheres decidem, em um momento de esgotamento, virar a mesa e dar o troco. Em meio às cenas cômicas, o grupo propõe uma importante reflexão sobre violência contra a mulher e igualdade de gênero. A peça será apresentada, gratuitamente, sábado, às 20h00 e domingo, às 19h00, no CIS-Guanabara. No dia 26, sexta-feira, das 14h00 às 17h00, no mesmo local, será realizada a oficina “Introdução ao trabalho com a máscara do palhaço”.

O espetáculo AniMales passeia pelos arquétipos femininos e assim constrói a sua linha dramatúrgica. Aborda a prostituta, a mãe, enfim, a mulher em várias representações sociais. A comicidade do espetáculo é construída num crescente conforme a narrativa flui, a violência se intensifica e o caminho dramatúrgico se aproxima cada vez mais do lar. Caminha-se do gueto das prostitutas até a sala da casa de família, onde se dá o ápice da história, o máximo da violência.

O Coletivo AniMales apresenta, dessa maneira, através do humor mórbido e de uma estética sangrenta, uma reflexão sobre a violência cotidiana contra a mulher. Na visão do grupo, na estrutura em quadros (a peça é apresentada em cinco esquetes), o horror e o excesso de violência podem, aliados a comédia clownesca, construir juntos uma comédia bastante particular, instaurando um contraditório clima descontraído. Entre ficção e realidade, o espetáculo busca fazer rir e pensar através do estranhamento da forma. Dessa maneira, o espetáculo constrói sua reflexão compartilhada sobre as violências cotidianas contra a mulher. Através de cinco esquetes, independentes entre si, é construída uma linha transversal que liga cada um dos acontecimentos: as violências cometidas em cena vão se aproximando do núcleo familiar à medida que as mulheres perdem o controle e invertem os papéis de opressão. O espetáculo AniMales busca, enfim, questionar: o que aconteceria se num m omento de clareza e fúria, as mulheres decidissem revidar as violências sofridas? É por esse caminho que transcorre a narrativa desse trabalho.

O Coletivo AniMales surgiu em 2016 dentro do bacharelado em Artes Cênicas sob a provocação do professor do Departamento de Artes Cênicas da Unicamp, Matteo Bonfitto. Seus membros, hoje graduados, trabalham no desenvolvimento do projeto AniMales. No princípio como grupo de pesquisa, foram movidos pela temática do terror, da violência retratada em obras audiovisuais contemporâneas. Nesta trajetória, depararam-se com a violência contra a mulher, a sua banalização e espetacularização, e com as ferramentas do cômico através da máscara do palhaço. Nesse mergulho, encontraram a sua própria natureza criativa.

As oficinas – As pesquisas do grupo produziram ainda outras reflexões para o projeto como a proposta de realização de oficinas de palhaço para adolescentes, público-alvo do espetáculo. Oferecida gratuitamente, para um público com ou sem experiência teatral, a oficina permitirá aos participantes entrar em contato com metodologias de trabalho para descobrir e explorar seu próprio palhaço e como expressar seu viés cômico. Na visão do grupo, a figura do palhaço é uma linguagem fundamental para a construção e expressão do cômico, uma vez que permite a cada pessoa o encontro com seu palhaço, num processo de pesquisa sobre si mesmo.
No CIS-Guanabara, o evento, com a coordenação da agente cultural Silvana Di Blasio, tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), da Unicamp.

Ficha técnica da peça – Direção e Iluminação: Gabriel Pangonis; Elenco: Aline Moreira, Catarina Eichenberger, Luan Assunção, Mellanie Grilo e Rafa Marotti; Visualidades: Grupo; Coreógrafa: Carol Gasquez; Dramaturgia: Grupo e Gabriel Pangonis; Produção: Grupo

Programação
Espetáculos: Dia 27 de abril (sábado), às 20h00 e dia 28 de abril (domingo), às 19h00.
Oficina: Dia 26 de abril (sexta-feira), das 14h00 às 17h00.
Mais informações: facebook.com/coletivoanimales/
Local: O CIS fica à Rua Mário Siqueira, 829, Botafogo, Campinas (estacionamento gratuito no local).

Previous post

Escola Waldorf de Barão Geraldo é reconhecida como Utilidade Pública em Campinas

Next post

Mata Santa Genebra abre inscrições para o Grupo de Fotógrafos da Natureza

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *